Da confecção para elétrico: a mudança que se tornou referência de sucesso profissional
Na foto Claudemir Volpe, fundador da empresa. Foto: Raphaella Caçapava

Da confecção para elétrico: a mudança que se tornou referência de sucesso profissional

Conheça a história do empresário que abriu a primeira empresa de eletropostes da capital paranaense

Mais de 30 anos se passaram desde a mudança que marcaria a trajetória de Claudenir Volpe. Era meados de 1980 quando ele viu a oportunidade de trocar o ramo da confecção pelo o elétrico e se tornou representante do segmento de postes e caixas de concreto. “Sempre havia trabalhado na área têxtil, mas por meio de conhecidos descobri uma empresa que buscava representantes na área elétrica. Enxerguei uma nova possibilidade e me dediquei”, conta Volpe.

Dito o sim, Claudenir partiu para Minas Gerais e só retornou a Curitiba anos depois. De volta à terra natal ele percebeu o potencial dos produtos e resolveu abrir seu próprio negócio. “De início comprava e revendia da empresa que havia sido representante, mas tempos depois abrimos nossa própria fábrica”, explica.

O empreendimento cresceu. E a Diproel – primeiro nome da organização e que ainda é a marca dos seus postes – se tornou a Volpe Eletropostes, a mais antiga empresa do segmento em Curitiba, enraizada há quase 20 anos no bairro Xaxim (sua primeira sede foi na região do Hauer). Uma empresa familiar administrada, segundo Claudenir, com muito profissionalismo. “Nossa especialidade é fornecer aos clientes um serviço diferenciado na aquisição de padrões, isto é postes específicos a cada necessidade”, garante o sócio fundador. O atendimento minucioso e o cuidado com cada projeto são a marca registrada da Volpe.

Claudenir costuma atribuir sua trajetória ao “acaso que deu certo”, mas é possível perceber que o acaso está apenas na oportunidade surgida, do restante, o sucesso da Volpe Eletropostes, está revestido de muito trabalho.