Jovem talento do Boqueirão ganha os palcos do mundo

Com apenas 14 anos, Estefan Iatcekiw encanta os amantes de música clássica com seu domínio do piano

Com apenas 14 anos, Estefan Iatcekiw deixa o título de promessa da música clássica brasileira e se torna músico admirado em todos os palcos do país e do mundo.

Com apenas 14 anos, Estefan Iatcekiw deixa o título de promessa da música clássica brasileira e se torna músico admirado em todos os palcos do país e do mundo.

Talvez você não consiga se lembrar do que fazia aos cinco anos de idade. Provavelmente fazia o que quase toda criança faz: jogava bola, assistia a desenhos, cuidava de bonecas, brincava com os amigos. Mas foi justamente nessa idade – enquanto as outras crianças exploravam as possibilidades – que Estefan Iatcekiw, hoje com 14 anos, descobriu a sua vocação: ser pianista. “Quando ele me pediu um piano com cinco anos eu hesitei. Achava que era coisa da idade, de querer brinquedos e depois de alguns minutos abandonar. Como nem tínhamos condições e nem espaço para adquirir um piano dei a ele um teclado no dia das crianças”, lembra Josiane Vergara Alanis, mãe do jovem talento.

Estefan lembra bem da aflição que sentia por ter convicções tão claras e não conseguir convencer os adultos. “Eu sentia uma angústia muito grande. Pode soar estranho, mas eu realmente sabia o que queria fazer. Tempos mais tarde descobri que minha inquietação diante dos sons era porque eu possuo o ouvido absoluto – este é um fenômeno auditivo raro no qual a pessoa possui a habilidade de perceber e dar nome a cada uma das notas que chega ao seu ouvido não somente das músicas, mas de qualquer som como buzina, sons da natureza e etc -. Mesmo antes do teclado, com pouco mais de um ano eu já reproduzia os sons que ouvia na televisão por meio de batuque nas portas de armários”, resgata ele.

Com o teclado em mãos ele passou a tirar músicas apenas ouvindo a televisão e o rádio e insistiu para entrar numa aula. Sua mãe percebendo que realmente o menino tinha algo especial aceitou o pedido e buscou uma escola. “Foi quando comecei a estudar música. Neste primeiro professor fiquei até os meus sete anos quando juntos percebemos que ali eu já tinha aprendido tudo que era possível”, conta. Estefan então passou a estudar com outro professor que desenvolveu suas habilidades por mais dois anos. “Aos nove ele também percebeu que não poderia mais me dar aulas, por isso me ajudou a encontrar outra professora”, acrescenta. Desde então Estefan segue sob os cuidados da pianista russa Olga Kiun.

De lá para cá ele não parou mais. Premiado com 1º lugar no lV International Rachmaninov Piano Competition for Young Pianists na Alemanha, além do prêmio de melhor interpretação da obra de S. Rachmaninov, e com o 2° lugar no Concurso Internacional Santa Cecília, em Porto-Portugal, o jovem pianista é considerado um prodígio da música clássica brasileira.

A caminho da Rússia

O próximo desafio de Estefan está a mais de 12 mil km do Boqueirão. O adolescente – que já concluiu o Ensino Médio por meio de provas de equivalência (detalhe: gabaritou todas as matérias) – embarca em agosto de 2019 para a Rússia, aonde deve estudar seis anos para concluir o curso superior no Conservatório Tchaikovsky. A missão agora é conseguir um patrocínio para enfrentar a empreitada. “Diferentemente da bolsa que Estefan ganhou para estudar na Hungria, a ida para a Rússia é integralmente por nossa conta. Mas esta é uma oportunidade única para o desenvolvimento do seu talento, por isso estamos levando este projeto ao conhecimento de empresários e aos admiradores da música para que consigamos fazer uma força tarefa por meio de patrocínios para concretizar esse sonho”, preocupa-se a mãe.

Para Estefan, apesar de toda a maturidade para um garoto de 14 anos, o que conta é o seu sonho de menino. “Infelizmente no Brasil a música clássica não tem o devido reconhecimento. Eu quero ganhar os palcos do mundo. O que me move é a música, é o brilho no olhar de cada um que me ouve, essa é a minha vocação e o que quero fazer para o resto da minha vida”, finaliza.

Destaques da carreira

Estefan conquistou primeiros prêmios em vários concursos nacionais, dentre eles o X e Xl Concurso Profª Edna Bassetti Habbith e o prêmio de melhor intérprete de música brasileira do compositor Villa Lobos. Também venceu o Concurso Nacional Souza Lima e prêmio de Hors Concours, Concurso Nacional Mackenzie, Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica de Goiânia, o ll Concurso de Piano Yamaha. Saiu vitorioso do Concurso Prelúdio 2017 da TV Cultura, onde foi premiado com uma bolsa de estudos de três anos no Conservatório Franz Liszt em Budapeste-Hungria. Participou da 32ª, 33ª, 34ª e 35ª Oficina de Música de Curitiba, onde teve orientação de vários professores de renome internacional.

Atuou como solista em diversas orquestras nacionais, dentre elas a Orquestra de Cordas da 33ª Oficina de Música de Curitiba sob a regência do Maestro Reginaldo Nascimento, Orquestra da Camerata Antiqua de Curitiba sob a regência do Maestro Osvaldo Colarusso, Orquestra Sinfônica de Goiânia sob a regência do Maestro Eliel Ferreira, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa sob a regência do Maestro Vantoil Souza, Orquestra Prelúdio sob a regência do maestro Júlio Medaglia e Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo sob a regência do maestro Fábio Prado e a Orquestra Sinfônica do Paraná sob a regência do Maestro Stefan Geiger.