Com mais divulgação, Disque Idoso já recebeu 590 denúncias em 2019

idosos

Nos primeiros cinco meses de 2019 já foram registradas 590 denúncias pelo Disque Idoso, um canal de atendimento da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. A grande maioria delas por violência física praticada por familiares, com associação ao uso de drogas e bebidas alcoólicas. Os dados são do Departamento de Políticas Públicas para Criança, Adolescente e Idoso da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho.

A secretaria está promovendo um evento alusivo ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, comemorado em 15 de junho.

O número reflete um aumento significativo, já que em todo o ano de 2018 foram recebidas 788 denúncias (289 até maio), enquanto em 2017 foram 676 (237 até maio). O crescimento é reflexo de uma nova política adotada pela gestão Ratinho Junior, com maior divulgação do serviço, qualificação dos profissionais e aproximação com instituições e organizações que trabalham com a área da pessoa idosa.

“Atendemos de forma humanizada, prestando orientações e encaminhamentos as pessoas que realizam denúncias”, diz o psicólogo José Sobieray, responsável pelo serviço. Ele destaca também que a violência contra a pessoa idosa não se manifesta apenas em agressões físicas, mas, muitas vezes em sua vertente psicológica, como negligência e discriminação ou, ainda, em apropriação de dinheiro e abandono.

FUNDAMENTAIS - Para o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, a divulgação do Disque Idoso e a conscientização sobre a importância das ligações são fundamentais. “O cuidado com a população idosa é uma prioridade do governo Ratinho Junior, mas toda a sociedade é responsável. É muito importante que todos estejamos atentos aos direitos das pessoas com mais de 60 anos, e que acionemos o Disque Idoso no caso de desrespeito a esses direitos, principalmente quando há suspeita de violência e maus-tratos”, afimou.

“É necessário informar não apenas os idosos sobre os direitos, mas também os filhos, netos e pessoas da família que cuidam deles”, destaca o coordenador da Política do Idoso da Sejuf, Matheus Mokdese.

GRATUITO – O Disque Idoso Paraná é um serviço telefônico estadual gratuito ligado a um banco de dados que coloca à disposição da população orientações sobre os direitos da pessoa idosa, presta informações, encaminha denúncias e sugestões sobre serviços públicos.

O serviço disponível nos 399 municípios paranaenses, foi implementado em 1997. No mesmo ano foi instituído o Conselho Estadual dos Direitos do Idoso (CEDI), órgão que atua na defesa dos direitos dos idosos, congregando e conjugando esforços dos órgãos públicos, entidades privadas e grupos organizados em favor da plena inserção da pessoa idosa na vida socioeconômica, política e cultural do Estado do Paraná, eliminando toda a forma de preconceito.

S E R V I Ç O
DISQUE IDOSO: 0800 41 0001 (ligação gratuita e sigilosa)
Atendimento: segunda-feira a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h30.
E-mail: disqueidoso@seds.pr.gov.br
Outros fones úteis:
Disque-Denúncia: 181
Ministério Público do Paraná: (41) 3250-4000
Polícia Civil: 197
Polícia Militar: 190

BOX1
Evento marca Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

No dia 15 de Junho é comemorado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, por meio da Escola em Educação de Direitos Humanos (Esedh) e da Coordenação da Política Pública da Pessoa Idosa, vai promover um Seminário com o intuito de sensibilizar a sociedade para o combate a violência contra pessoas idosas, que deve ser entendida como uma grave violação aos Direitos Humanos.

O evento acontece no dia 14 de junho, sexta-feira, das 13h às 17h, no auditório Mario Lobo, do Palácio das Araucárias, em Curitiba. O seminário é destinado a pessoas idosas, gestores, conselheiros municipais e estaduais, técnicos da área da pessoa idosa, escritórios regionais e demais interessados da comunidade no tema.

“Vamos promover o debate sobre o crescente número de pessoas idosas que são acometidos por algum tipo de violência. Pensar políticas públicas de promoção e proteção da Pessoa Idosa”, disse a diretora do Departamento de Políticas Públicas para a Criança, Adolescente e Idoso, Ângela Mendonça.

Para fazer a inscrição, acesse AQUI

BOX2
Governo atua efetivamente na garantia de direitos da pessoa idosa

No Paraná, os idosos representam 11,2% da população – aproximadamente 1,3 milhão de habitantes com mais de 60 anos, segundo o último Censo do IBGE (2010). Criada por meio da Lei nº11863/1997, a Política Estadual dos Direitos do Idoso tem por objetivo assegurar os direitos da pessoa maior de 60 anos, oferecendo condições para sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade.

Com a Política da Pessoa Idosa, o Plano Estadual envolve todos os órgãos e entidades governamentais a fim de que somem esforços para realizar cada uma das ações propostas, tornando o Estado um espaço propício à vivência da cidadania plena da pessoa idosa de qualquer condição econômica ou social.

A Coordenação da Política da Pessoa Idosa é responsável pela Política Estadual do Idoso no estado, planejando ações, realizando o acompanhamento e fazendo o monitoramento de programas, projetos e ações relacionados aos direitos da população idosa em âmbito estadual.

Dentre as principais atividades da Coordenação da Política da Pessoa Idosa, estão: monitoramento do Plano Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa do Paraná; assessoramento aos municípios para a criação e implantação dos conselhos e fundos municipais; assessoramento aos municípios para a elaboração e implementação do Plano Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa; integração e articulação da política entre os escritórios regionais da Secretaria e demais órgãos da administração pública estadual; enfrentamento às violências contra a pessoa idosa; distribuição de materiais e o Disque Idoso Paraná.

O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, reforça que o objetivo das ações é dar visibilidade à Política Estadual dos Direitos do Idoso. “Mobilizar e ampliar o nível de informação da sociedade sobre os direitos e garantias a eles conferidos são aspectos essenciais para garantir uma vida digna e de respeito à pessoa idosa”, afirma o secretário.