Pequena judoca do Alto Boqueirão se destaca em competição nacional

Pequena judoca do Alto Boqueirão se destaca em competição nacional

Com apenas oito anos de idade, Tayla Tinen já coleciona medalhas e se sobressai no judô

WhatsApp-Image-2019-08-12-at-10.29O terceiro lugar no Campeonato do Budokan, em Mauá, São Paulo, teve um gostinho especial para a pequena Tayla Tinen, de apenas oito anos de idade, o de superação. A mãe da judoca, Ana Paula Kazue Fernandes Tinen, conta que ela superou a insegurança e surpreendeu. “Ela foi com medo para lutar, chegou a falar para mim: ‘mãe essa vou perder, elas são boas’. Mas falei para ela que o que importava era competir, independente de perder ou ganhar”, acrescenta. Por isso o terceiro lugar foi muito celebrado por todos.

Mas o resultado em um dos mais tradicionais torneios de Judô do Brasil foi resultado de uma caminhada que dura um ano e meio. Foi em 2017, com apenas sete anos, que Tayla começou a praticar o esporte por incentivo do pai. “A ideia era tirar ela um pouco de casa, da televisão e do telefone. Queríamos que ela convivesse com outras crianças”, lembra a mãe. A brincadeira logo virou a atividade preferida de Tayla que não perde um treino. “Até quando está doente ela quer ir”, completa Ana Paula.

Para incentivar a jovem, o professor André Kussumoto, concedeu uma bolsa na academia para que ela pudesse aperfeiçoar os golpes e suas habilidades. “Ela é muito competitiva. Treina na academia e quando chega no Centro da Juventude ela ensina os amigos o que aprendeu. Tayla fala que quer ser uma sansei para ensinar outras pessoas”, explica.

Para além de competições, o judô tem ajudado Tayla também na escola. O combinado com a mãe é que ela precisa ir bem nas aulas para seguir no esporte. “Ela estava com dificuldade na matéria de português e para cumprir nosso acordo se esforçou. A tática deu certo e ela melhorou bastante”, conta.
Tayla, que em menos de dois anos já conquistou nove medalhas, já sabe o que precisa para alcançar seus sonhos. “Preciso estudar, correr atrás e nunca desistir”, diz a pequena. Quem duvida que ela vai longe?